segunda-feira, 16 de novembro de 2020

Análise Sleeping Dogs: Perseguições, violência e muito Kung Fu

Com uma história de desenvolvimento cheia de reviravoltas ao ponto de dar inveja a qualquer novela mexicana, Sleeping Dogs quase entrou na lista de jogos anunciados, mas que nunca foram lançados. Felizmente o titulo da United Front Games que mescla um pouco de GTA com Batman Arkham pode ver a luz do dia.

Um desenvolvimento conturbado e cheio de surpresas

Tudo começou com um projeto chamado “Black Lothus”, um jogo de ação que estava sendo desenvolvido pela Treyarch e contaria com Lucy Liu (atriz conhecido por papéis em As Panteras e Kill Bill) dando vida a protagonista. Pelo envolvimento do estúdio com um novo jogo da franquia Call of Duty, a Activision decidiu passar o projeto para as mãos da United Front Games.


Lucy Liu
Lucy Liu


Tempos depois, o desenvolvimento de Black Lothus foi cancelado pela Activision. Os engravatados da publisher acreditavam que jogos com protagonistas femininas não vendiam muito bem.

Especula-se que por conta do sucesso de GTA IV, a Activision passou a querer seu próprio jogo Sand Box com temática gangster. Vendo potencial em Black Lothus, a Activision retomou o desenvolvimento do projeto, só que com grandes mudanças. O protagonista passou a ser um homem e em vez de dar início a uma nova IP, o game passou dar continuidade a franquia True Crime, passando a se chamar True Crime: Hong Kong.

Dessa vez parecia que o jogo finalmente seria lançado. Tiveram trailers e até uma demo foi apresentada, mas o projeto foi cancelado de novo. Segundo especulações, os engravatados da Activision afirmavam que o jogo não estava no nível de GTA IV, porém não investiram o suficiente para criar um jogo colossal como o da Rockstar. Oficialmente, a Activision apenas afirmou que o jogo não estava ficando muito bom.

Quando tudo parecia estar terminado, a Square Enix comprou o projeto e pôs a Squre Enix London para ajudar a United Front Games a dar continuidade ao desenvolvimento do game. Pela Square Enix não ser dona da IP True Crime, o jogo teve que ser rebatizado.

Depois de cancelamentos e retornos, Sleeping Dogs, o nome definitivo do game, finalmente foi lançado em 14 de agosto de 2012 para Xbox 360, PS3 e PC.


Seja Bem vindo a Hong Kong

Sleeping Dogs é um jogo de mundo aberto que se passa em Hong Kong e conta a história do policial infiltrado Wei Shen, que depois de ser preso em uma operação mal sucedida mostrada no início game, acaba reencontrando um amigo de infância na cadeia que o convida para entrar para sua gangue, com isso conseguindo se infiltrar na maior tríade de Hong Kong.

Depois de uma série de tutoriais, finalmente somos apresentados ao mundo aberto de Sleeping Dogs, que por sinal não é muito grande, mas compensa isso oferecendo uma Hong Kong detalhada e cheia de vida. O ambiente é cheio de pessoas e você poder ver cada uma delas vivendo suas vidas, como algumas pessoas voltando do trabalho, fazendo compras, tomando um refrigerante e falando no celular. Um detalhe importante é que todos eles falam em cantonês.

Para se locomover pelo mapa, Sleeping Dogs oferece uma boa variedade de carros e motos, e ainda contém alguns barcos para locomoção marítima. A jogabilidade com os carros ficou ótima, o estilo mais arcade emula bem a sensação de ser o “brabão” das pistas. A jogabilidade com a moto é ok, mas um detalhe engraçado é que são seguras de mais para uma moto. Pra vocês terem uma noção, em uma batida, é muito difícil Wei ser arremessado da moto. Pode parecer engraçado comentar sobre isso, mas pra quem já jogou outros jogos do tipo, isso causa um pouco de estranheza.


Uma Hong Kong com muito a oferecer


Se a jogabilidade com os carros é boa e das motos é aceitável, a dos barcos são uma calamidade. Só pra virar o barco já é um desgosto, agora imagina só pilotar em um local estreito? Felizmente, boa parte da gameplay se passa em terra.


Pancadaria apetitosa 

O combate de Sleeping Dogs é claramente inspirado no de Batman Arkham e isso casou muito bem com o jogo. O combate rítmico ajudou a dar um ar mais coreografado as lutas, algo que me lembrou muito as cenas de luta dos clássicos filmes de Bruce Lee e Jack Chan. As lutas são brutais e cheias de sangue, você pode ver em Wei e nos inimigos as marcas da brutalidade do combate. Para deixar as lutas ainda mais selvagens e viscerais, você pode utilizar o cenário para finalizar o inimigo com extrema violência, como enfiar a cara do inimigo no forno, arremessar em uma bacia de enguias elétricas, empalar e muitas outras. Ainda temos armas brancas como faca, porrete, chave de roda e até mesmo guarda-chuva para dar aquela diversificada no combate.

O combate armado é bem simples e acessível, não é necessário ser um veterano de guerra para se dar bem nos tiroteios. O game ainda oferece recursos como tomar arma de inimigos, usá-los como escudo humano e uma espécie de “bullet time” no estilo Max Pane que é ativada em alguns momentos específicos como sair de um carro em movimento.

Wei também pode usar habilidades de parkour que torna a navegação pelo mapa mais rápida e ágil, e não para por aí. Wei é um personagem tão “casca grossa” que é capaz de saltar de um carro ou de uma moto em movimento para roubar outro, deixando as perseguições ainda mais empolgantes.

Wei possui três atributos para evoluir. Cop: que envolve não causar danos pela cidade e não machucar civis durante missões como policial e na missão principal. Triad: que envolve ações violentas contra os inimigos na missão principal e em missões que envolvem confrontos contra gangues rivais. E Face: que podemos chamar de reputação, ele evolvem favores para outros personagens e vitória em corridas. Conforme você evolui o atributo Face, você ganha acesso a novos itens para comprar e regalias.


Um combate no estilo Batman Arkham


Infelizmente você não recebe nada por enfrentar os inimigos espalhados no mapa, ou seja, as únicas lutas que valem a pena gastar tempo mesmo são as das missões principais e secundarias, e falando em secundarias, Sleeping Dogs está cheios de secundarias de diversos tipos espalhadas pelo mapa.


Uma história  interessante, mas que termina devendo

Sleeping Dogs possui uma ótima história, pode não ser original, mais ainda assim é incrível e cheia de cenas de ação, momentos impactantes e reviravoltas, mas na hora de entregar o “gran finale”, o game acaba decepcionando. O que poderia ser um final épico acaba sendo meio morno, com aquele gosto de “falta alguma coisa aqui”. Não quero dar spoiler, mas o final fica devendo.

Ainda sim, Sleeping Dogs é um ótimo jogo de mundo aberto repleto de atividades espalhadas pelo mapa e com um combate excepcional. Para expandir ainda mais a experiência, foi lançado duas expansões, a Year of Snake: Que traz Wei de volta como policial e com a missão deter uma seita que visa o fim do mundo, e Nightmare in North Point que coloca Wei em uma Hong Kong sobrenatural.

Pra que estiver interessado, Sleeping Dogs está disponível em sua versão definitiva pra PS4, Xbox One e PC.

 Leia Também

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário